[Resenha] Eu sei onde você está

Título: Eu sei onde você está
Autor: Claire Kendal
Editora: Intrínseca
Ano: 2017
Páginas: 304
CompreAmazon, Submarino
Classificação: 
Sinopse: Rafe está em todos os lugares. E Clarissa vai encontrá-lo, mesmo sendo a última coisa que gostaria que acontecesse. Vai encontrá-lo na universidade onde ambos trabalham, na estação de trem, no portão do prédio onde mora. As mensagens do homem lotam a secretária eletrônica de Clarissa, os presentes dele abarrotam sua caixa de correio. Desde a noite traumática que passaram juntos alguns meses antes, ela se vê em uma armadilha da qual não consegue escapar. E ele se recusa a aceitar um não como resposta. A única saída de Clarissa para esse pesadelo angustiante são as sete semanas que passará em um tribunal, onde foi escalada para compor um júri popular. A vítima em questão viveu experiências que revelam uma similaridade macabra com a vida da jurada. Conforme o julgamento se desenrola, Clarissa percebe que, para sobreviver às investidas obcecadas de Rafe, será necessário se arriscar. Começa então a reunir evidências da insanidade do perseguidor para usá-las contra ele e relata todo o terror psicológico e físico a que é submetida, o que a obriga a reviver cada momento doloroso que vem tentando desesperadamente esquecer. Escrito de forma primorosa, "Eu sei onde você está" explora a tênue fronteira entre amor e compulsão, fantasia e realidade. Um retrato perturbador de uma mulher perseguida, determinada a sobreviver.
       O thriller psicológico Eu sei onde você está é o livro de estréia da autora Claire Kendal, e podemos dizer que já começou muito bem para uma primeira publicação. A leitura mostra a agonia de uma mulher que é perseguida e que sofre com isso calada enquanto tenta mostrar provas de seu sofrimento é real.
        Clarissa trabalha em um universidade e levava uma vida normal até o momento em que passa uma noite com Rafe, da qual não se lembra, e vê sua vida virar de cabeça para baixo quando ele passa a persegui-la e começa a agir como se eles fossem um casal. Ele está a sua espera em todos os lugares, principalmente na porta de sua casa e onde deixa vários presentes. Procurando uma forma de fugir dessa loucura que virou sua vida, Clarissa é escalada para compor juri de um caso que por acaso é similar ao que ela está passando e que irá poder assim fugir um pouco de Rafe. Mas o que ela acha que será uma fuga de seu perseguidor, acaba sendo o início de mais uma perseguição mortal.

" Antes de você, eu adorava meu nome. Não quero que também tire isso de mim. Não posso deixá-lo fazer isso, embora me encolha cada vez que o repete"

     Essa foi uma leitura agoniante do começo ao fim, eu sofri junto com a Clarissa e passei um ódio tremendo com o Rafe. Tudo começa em um coquetel de lançamento do livro de Rafe, que Clarissa acaba indo mas nem sabe porque e acaba aceitando as bebidas que ele oferece. Ela acaba passando a noite junto com ele, porém não se lembra de nada e no dia seguinte acorda cheia de marcas pelo corpo e sangue. Após esse ocorrido Rafe passa a persegui-la e está em todos os lugares que Clarissa frequenta, ele manda cartas, presentes, revira seu lixo, tenta contatar todos os seu amigos e a chama de sua namorada a todo momento.
       O modo como ele repete o nome dela a todo momento é de uma agonia sem tamanho, e ela tenta de todos os modos fugir e ele está em todos os lugares. Ela tenta pedir ajuda a polícia mas eles dizem que sem provas não podem fazer nada, e quando recorre a sua melhor amiga ela não acredita em sua versão e sim na de Rafe.

"Está me dizendo que ele tem de me machucar antes de vocês me ajudarem?"
      
    O ponto alto do livro é a realidade. Quantas mulheres passam por isso hoje em dia e sofrem calada, sem procurar apoio apenas sofrendo com isso. Clarissa passa o tempo todo juntando provas, para que a polícia acredite nela e isso é o que acontece quase a trama toda. Ela aguenta todas as provocações e perseguições de Rafe para poder guardar as provas.
       O livro é escrito em forma de diário em datas e dias da semana que ela conta o que acontece. Em relação a narrativa, acho que a autora pecou no fato de que algumas parte do nada ela muda a narração em forma de diário para terceira pessoa e isso acaba confundindo o leitor.

"Dizem que há uma média de 110 incidentes envolvendo um perseguidor antes de uma mulher procurar a polícia. Digo a mim mesmo que não devo ter chegado nem perto de 110, embora imagine se isso depende de como eles são contados"
    
    Eu gostei da leitura, mas a autora fez uma lambança no final que acabou tirando um pouco a graça (porém a trama continua boa). Ela contou o livro todo dia após dia em detalhes, e chegou no fim ela fez tudo de uma forma tão rápida que deixa você confuso com vontade de entender o que houve de verdade.
      O livro é voltado mais para parte psicológica, então não tem tanta ação mas mexe bastante com o leitor. Eu recomendo a leitura se você gosta do gênero.

"E fico me perguntando onde você está. Isso me apavora ainda mais: me faz ver que há o perigo de eu passar a ter uma fixação tão grande por você quanto você tem por mim. Na verdade, isso é o que você quer, na sua missão interminavel de conquistar minha atenção"
                                                              

6 comentários:

  1. Nossa! Eu também lembro de ficar agoniada com cada "Clarissa" que o Rafe falava.
    É realmente revoltante tudo que a personagem tem que passar para que os outros acreditem que isso esta acontecendo com ela. Também achei uma boa estreia.
    Beijos,
    Alem da Contracapa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fiquei agoniada o livro todo, com o Rafe e ninguém fazer nada! Que desespero que deu essa leitura haha

      beijinhos

      Excluir
  2. Quero muito muito muito muito ler esse livro. Não só por ele ser o único que vi ter o meu nome como protagonista hahhahaha mas por eu amar demais o gênero <3
    Quero ler logoooo

    Beijos
    Próxima Primavera

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E olha, seu nome aparece e MUITO nesse viu haha

      beijinhos

      Excluir
  3. Oi Nicole, tudo bem?
    Eu tive a oportunidade de ler esse livro e é realmente angustiante. Ver a personagem narrando essa obsessão é de tirar o fôlego.
    Bjkas

    http://www.acordeicomvontadedeler.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Completamente, ela conseguiu nos fazer sentir como era estar na pele dela!

      beijinhos

      Excluir

© She bookaholic - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Renata Massa | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo