[Resenha] A mais pura verdade

Título: A mais pura verdade
Autor: Dan Gemeinhart
Editora: Novo Conceito
Ano: 2015
Páginas: 221
Classificação: 
Sinopse: Em todos os sentidos que interessam, Mark é uma criança normal. Ele tem um cachorro chamado Beau e uma grande amiga, Jessie. Ele gosta de fotografar e de escrever haicais em seu caderno. Seu sonho é um dia escalar uma montanha.

Mas, em certo sentido um sentido muito importante , Mark não tem nada a ver com as outras crianças.
Mark está doente. O tipo de doença que tem a ver com hospital. Tratamento. O tipo de doença da qual algumas pessoas nunca melhoram.
Então, Mark foge. Ele sai de casa com sua máquina fotográfica, seu caderno, seu cachorro e um plano. Um plano para alcançar o topo do Monte Rainier.Nem que seja a última coisa que ele faça. 
A Mais Pura Verdade é uma história preciosa e surpreendente sobre grandes questões, pequenos momentos e uma jornada inacreditável.

    Esse é aquele livro que emociona e te faz torcer com o personagem a leitura toda! É encantador, realista e me fez chorar várias vezes haha.
    Mark tem pais amorosos, um cachorro fiel e Jesse, sua melhor amiga com quem divide todos os seus segredos. Parece ser tudo normal, exceto que ele possui uma doença que o sobrecarrega sempre e que acaba vencendo algumas vezes. Cansado de não poder controlar o tempo e sem esperanças para continuar lutando, Mark resolve fugir e realizar o sonho do avó: alcançar o topo do Monte Rainer. Ele leva somente alguns suprimentos, uma máquina fotográfica, caderno e seu fiel cachorro Beau, assim deixando todo o resto para trás e com um plano que tentará cumprir como último desejo.
      Confesso que no início que não colocava fé nenhuma na leitura, mas o autor conseguiu me ganhar com toda a mensagem que vem junto com a trama. Mark é um garoto incrível, que te faz rir, chorar e torcer junto com ele o livro todo.
   O autor dividiu a narração entre Mark e sua melhor amiga Jesse, mas o foco é inteiramente no garoto e em todas as aventuras que enfrenta para conseguir realizar o seu plano. Confesso que o fato dele se aventurar em uma escalada de um monte na condição dele e sozinho e sem nenhum equipamento parece ter sido um pouco forçado, mas o modo como Mark narra e suas emoções acabam te fazendo esquecer todo esse detalhe.
"Isto é o que eu não entendo: por que todo mundo faz um escarcéu tremendo com relação a morte.
Morrer e viver. É tudo uma bagunça. Essa é a mais pura verdade. Aquilo me deixava irritado. Um tipo de irritação triste."

 Achei emocionante como o sentimento e o amadurecimento dele é abordado o livro todo, e a doença praticamente quase não é comentada, e só o fato de Mark ficar bravo com o tempo. Tempo que ele não sabe como sentir, se seria um dia a mais ou um dia a menos. Outro ponto que eu fiquei encantada, foi o companheirismo dele e seu cachorro, Beau. Em todos os momentos o cachorro estava lá para defende-lo quando não havia mais ninguém e em nenhum momento deixou o dono sozinho, mostrando que o amor dos animais é realmente fantástico.
    A editora arrasou em relação a edição, já que a capa tem realmente tudo a ver com a trama e os capítulos são divididos em folhas pretas indicando quantos quilometros restavam para Mark cumprir seu objetivo.
      É uma leitura leve, rápida e emocionante, com uma mensagem de tocar o coração. Realmente indico!

7 comentários:

  1. Olá Nicole, não conhecia seu blog e amei conhecer, seu blog é muito lindo e já estou até seguindo!
    Olha, eu já ouvi tantas indicações sobre esse livro, mas nunca senti vontade de ler acredita? Mas acabei de adicioná-lo a minha meta de leitura de 2018, e prometo que lerei.
    Parabéns pelo seu blog!
    Estante Clássica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Le sim que é ótimo!
      Obrigada pela visita.

      beijinhos <3

      Excluir
  2. Oi Nicole!! Não gosto muito de sicklit, mas o fato da doença não ser muito comentada me agrada e o Mark parece um excelente protagonista! A edição tá linda mesmo!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não gosto muito, mas como a doença não é quase comentada foi bem legal!

      beijinhos <3

      Excluir
  3. Oi, Nicole

    Que bom que curtiu, é bom quando acontece isso quando não estamos colocando fé no livro, né?
    Eu li muitas resenhas bem elogiosas quando o livro foi lançado, mas é um tema que não chama muito minha atenção.

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é uma delícia quando acontece mesmo!

      beijinhos

      Excluir
  4. Oi Nicole
    Tive a oportunidade de ler este livro, mas acabei passando para outro colaborador do blog, tudo porque é uma leitura que faz chorar e eu acabo lendo as que fazem rir. Mas como já disse anteriormente, preciso este ano sair um pouco do meu quadrado.
    Abraços,
    Gisela
    Ler para Divertir

    ResponderExcluir

© She bookaholic - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Renata Massa | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo