[Resenha] Como falar com um viúvo

Título: Como falar com um viúvo
Autor: Jonathan Tropper
Editora: Sextante
Ano: 2010
Páginas: 272
Compre: Aqui
Classificação: 
Sinopse: Doug Parker não foi um aluno brilhante, não conseguiu entrar para nenhuma universidade de prestígio e era demitido dos empregos de redator com relativa frequência. Enfim, não levava nada muito a sério até conhecer Hailey, bonita, inteligente e cerca de 10 anos mais velha que ele. Quando os dois se casam, Doug deixa para trás a descompromissada vida de solteiro e se dedica a esse amor, acreditando finalmente ter encontrado seu rumo. Mas, dois anos depois, Hailey morre em um acidente de avião e tudo perde o sentido.
Tentando lidar com o luto, Doug passa a escrever uma coluna chamada "Como falar com um viúvo", em que desabafa sua dor, relata a dificuldade de expressar seus sentimentos e se lembra da esposa de maneira sincera e cativante. A coluna se torna um grande sucesso - algo com que ele sempre sonhou - só que, infelizmente, no momento errado.Em meio a seu drama, Doug se vê às voltas com o enteado rebelde e a irmã gêmea que se mudou para sua casa decidida a fazê-lo voltar a se relacionar com outras mulheres. E então nada mais é como antes: sua vida passa a se desenrolar em uma divertida sucessão de encontros desventurados e insólitas confusões familiares. Entre tropeços, atropelos e as mais loucas situações, Doug começa a tocar sua vida, ainda que não saiba muito bem para onde. Afinal, muitas vezes o melhor a fazer é seguir em frente.

       Sabe aquele livro que você julga pela capa? Foi o que aconteceu com este e ele ficou lá largadinho na minha estante. Resolvi que queria algo rápido para ler e acabei escolhendo-o e fui surpreendida com a leitura.
      Doug tem 29 anos, nunca foi o motivo de orgulho dos pais e levava a vida "nas coxas". Mas tudo isso muda quando ele conhece Hailey, uma mulher 10 anos mais velha que ele , inteligente, com uma carreira ótima, recém divorciada e com um filho adolescente. Doug muda de vida e consegue achar a esperança que ele havia perdido, casado com a mulher perfeita, morando numa ótima vizinhança e se dando bem como mais novo padrasto. Porém ele vê tudo desabar quando sua maravilhosa esposa morre em um acidente de avião  e ele perde totalmente o sentido de viver.
      Ele só deseja ficar largado em casa, sofrendo e bebendo e sem contato com ninguém. Para conseguir transmitir seus sentimentos, transforma sua coluna em algo chamado "Como falar com viúvo" desabafando sobre sua dor. Como se não bastasse tudo que aconteceu, a irmã gêmea de Doug, Claire, se muda para sua casa e resolve que ele vai para encontro às escuras com mulheres que ela selecionará. Para ajudar ainda mais, Russ (filho adolescente da sua falecida esposa) começa a se meter em confusões e brigas na escola e Doug é sempre chamado pela orientadora.
     Em meio a todas essas confusões e a falta que sente de Hailey, Doug tenta seguir em frente e encontrar forças para achar um novo rumo em sua vida.



     Sabe aquele livro que você começa sem expectativa nenhuma? Então, foi como eu comecei este, já que não é uma leitura que faz meu estilo e porque achei que seria aquele drama mexicano sobre um viúvo que só sabe reclamar de tudo depois que perdeu a esposa. Mas , foi uma experiência surpreendentemente boa! O livro não é parado, não tem somente drama e tem uma boa dose de bom humor e vários acontecimentos que mexem conosco.
      O livro é centrado em Doug, nosso viúvo e personagem principal. Esperava aquele cara chato e meloso, mas ele é contrário disso e apesar de ter perdido a esposa ele mantem um humor meio que negro e apesar de se isolar um pouco, ele ainda tem um contato com o mundo e com a família. Mesmo de luto, podemos ver que ele é alguém que se importa com os outros, principalmente sua irmã e Russ. Eu sou fã de personagens secundários, e olha gente, o autor ARRASOU com os que ele criou ao redor de Doug. Eu adorei todo relacionamento eles tem um com o outro, principalmente a família Parker que é uma família ao mesmo tempo maluca (e com certeza os personagens mais engraçados do livro) mas unidos de um modo que para eles fazem um total sentido.
    Queria destacar também o relacionamento de Doug com Russ, que mesmo sendo padastro e mesmo com a morte de Hailey , ocorre todo aquele distanciamento entre os dois mas mesmo assim podemos ver o carinho enorme que sentem um pelo outro e cria todo aquele clima de como se os dois fossem melhores amigos. Esse foi um dos pontos que mais gostei do livro, e foi realmente tocante.
    É bem legal modo como autor descreve o luto de Doug, e dos vários comportamentos que ele apresenta e como supera cada fase. Não é leitura maçante e parada, e é dividido em capítulos que misturam presente e passado e ainda podemos também conhecer um pouquinho sobre Hailey, como eram como casal e como Doug era antes de conhecer a esposa. 
   O livro é de fácil leitura, e a editora fez um bom trabalho em relação a diagramação. A capa não havia despertado a minha atenção, porém levando em conta o tema abordado creio que não há muitas ideias que possamos colocar para despertar curiosidade do leitor.
     É uma leitura encantadora, que nos faz repensar que as vezes nem tudo estar perdido e que seguir em frente alguma hora é sempre necessário. Recomendo fortemente o livro. 


10 comentários:

  1. Oiii Nicole

    Realmente a capa e o titulo não chamam a atenção, coincido contigo em que tb provavelmente deixaria esquecido na estante. E que delicia quando justamente esse tipo de livro vem e nos surpreende, fico super feliz de saber o quanto a leitura fluiu pra ti. A resenha ficou ótima e achei a história bem interessante.

    Beijos

    aliceandthebooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É aquele livro que a gente aprende que capa realmente não é tudo ! haha

      beijinhos

      Excluir
  2. Oi Nicole, tudo bem?
    Olha, já vi esse livro em alguns outros blogs mas confesso que nunca dei atenção a ele, a capa realmente não é das mais chamativas... Mas a sua resenha mudou completamente a minha opinião! O livo me lembrou um pouco o "Melancia", e acredito que deve passar uma mensagem bem bacana também! Vou adicionar a lista de leitura com certeza!

    Amei o blog e já estou seguido, te convido a visitar o meu!
    Com Carinho,
    Ana | Blog Entre Páginas
    www.entrepaginas.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele passa uma msg muito bacana sim! Quase deixei passar por causa da capa haha

      beijinhos
      Obrigada pela visita!

      Excluir
  3. Oi Nicole
    Realmente pela capa eu nunca leria o livro. Também não sou chegada a dramas, mas como explicou que também tem bom humor, já me agradou. caso tenha oportunidade darei uma chance ao livro.
    Abraços,
    Gisela
    Ler para Divertir

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o bom humor deixa o livro com menos jeito de drama!

      beijinhos

      Excluir
  4. Confesso que nunca tinha ouvido falar desse livro, mas estou bastante curiosa por ele. Adoro essas histórias de superação e que deixam uma mensagem pra gente, sabe?
    E eu achei a capa linda, apesar de bem minimalista.

    Beijos.
    www.jadeamorim.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa é bastante minimalista mesmo, mas combina com o tema do livro no final.
      A msg é linda!

      beijos

      Excluir
  5. Oi Nicole, tudo bem? Eu nao conhecia o livro mas ja gostei do que vc conta na resenha! Muito bom quando o livro nos surpreende positivamente!!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir

© She bookaholic - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Renata Massa | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo